segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Passagem

Um barco assinado com "esperança"
Atravessava o canal contra o vento
Memórias se perdiam com a maresia
Enquanto o homem se auto consolava

O dedo indicador apontava para frente
Sinalizando erros e defeitos corriqueiros
Seu desejo era nunca mais voltar ao lar
que uma vez amou acreditou ser para sempre

O sol roxo e amarelo contornava os seus sonhos
Tudo parece ser tão feliz no final
As nuvens iluminavam os olhos semiabertos
É a fantasia da não-aceitação

O som das ondas acalmava os segundos
Confortava como um abraço explícito
Segure a imagem do quadro final
E respire a pouca fé enraizada

O relógio se move para frente e para trás
Não há mais nada para se aprender
O eco do oceano ressoava em expressões
Indo a lugar algum como uma criança perdida

Se está morto ou terminado, é um fato
Talvez seja o melhor a se fazer
Coisas ditas que não poderão ser consertadas
Honestamente, eu acho