terça-feira, 1 de setembro de 2015




Passei por todos esses anos em isolação
sentindo um movimento sem direção
Em cada queda me rendia aos momentos
que se tornavam meros ornamentos

Tentei caminhar descrevendo arbustos e estradas
enquanto o inferno pintava a cruz em cerimônia
Me perguntava o quanto poderia aguentar tudo isso?
Siga em frente, afirmou em consternação

Os séculos se tornam segundos de distração
perdemos a beleza por detalhes do coração
Aquilo que nos ensinaram foi que o passado não importa
mas se esqueceram de que hoje somos o que vivenciamos

Eu poderia crescer em cima dos erros primários paternais?
Eu poderia esperar pela próxima noite?
Instantes se quebram em um sacrifício imperial
É a jornada que termina da mesma forma que se iniciou

Quem poderia trair nossa confiança em criações tolas?
Uma mão carrega o perdão que deixará de existir
A existência é o pecado de quem não a escolheu
Coloque um fim no futuro enquanto estiver fora de controle

















  

sábado, 25 de abril de 2015

Não entendo. Sinceramente... 
O cara fala que não é homofóbico, mas ao ofender o amigo em uma brincadeira o chama de gay, viado e bicha... de uma forma mais pejorativa e escrota possível! 
Esta é a coisa mais hipócrita e asquerosa! Preconceito é a pior merda que existe! Definitivamente...

quinta-feira, 2 de abril de 2015


SE INTERESSA POR NAZISMO? ENTÃO NÃO DEIXE DE ASSISTIR A ESTE DOCUMENTÁRIO!

Ta aí mais um vídeo super raro e interessante sobre o holocausto.

Desde o início de sua carreira, Hitler reconheceu o potencial do cinema para conquistar o povo alemão. Enquanto esteve no poder, foram produzidos 1350 filmes na Alemanha, número só superado pelos Estados Unidos. Uma das principais produções dessa época é o “documentário” O Eterno Judeu (Der Ewige Jude), de 1940, que apresentava o povo judeu como um inimigo a ser vencido.

Logo que inicia o filme, diz-se que o público veria “cenas autênticas”. Busca-se forjar uma aura de “realidade” para dar credibilidade às imagens, uma vez que, sendo autênticas e documentais, não teriam sofrido manipulação e seriam retrato fidedigno da realidade.

Passava-se a ideia de que as imagens, gravadas no local e acompanhando pessoas comuns no seu dia a dia, eram exatamente aquilo que o público veria se fosse pessoalmente à Polônia e que a câmera fazia as vezes de olhos do espectador. Assim, os julgamentos proferidos em off pelo narrador seriam semelhantes aos que os espectadores fariam se estivessem lá.

Vale MUITO a pena dar uma olhada nesse documentário. É curto, objetivo e cruel!



Fonte: ufrgs 

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Ausência x Engano

''Quem muito se ausenta uma hora deixa de fazer falta.''
Frase clichê pra caralho, mas que nunca se torna antiquada.
E o pior é tentar entender que algumas pessoas ENALTECEM quem menos as ajudam. Seja através das coisas mais simples!
Mas é assim que as coisas funcionam. Quando perdemos a paixão nas pessoas/coisas, vemos que são detalhes; apenas detalhes que acabam ou continuam com esse envolvimento e afeição.
E quando a paixão vai embora por coisas idiotas, não há oração que a resgate!
Infelizmente! O jeito é se contentar com a realidade!

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Nunca solicite uma mudança de atitude a um indivíduo!

Acho uma imensa ironia quando uma pessoa pede a outra para mudar determinada atitude. Se a pessoa mudar sua atitude, NÃO SERÁ SINCERA.

É uma solicitação falsa pelo simples fato de não ser honesta; por ser forçada a mudar sem um sentimento provindo da alma; sem honestidade e vontade própria.

É uma forma hipócrita de lidar consigo mesmo!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Efeitos subversivos de um progresso que nunca vem


Talvez a maior decepção seja proporcional ao tamanho da expectativa, pois sonhos servem apenas para alimentar a insatisfação do presente de que tudo algum dia será melhor. Na maioria das vezes, sim, em sua grande maioria, isso não acontece...
Aquele que que está desapontado com o cotidiano, acaba por projetar uma aparente esperança de que os dias serão mais propícios.
Esta é a representação de uma realidade que não é aceita; onde o seu o dia a dia é uma carga tão difícil de carregar que a imaginação passa a ser uma espécie de conforto e bem-estar. A propósito, é mais fácil viver uma ilusão/sonhos, do que o que está cuspido em nossa rotina.

Tão importante quanto viver baseado em sonhos, dentro de seu discernimento, é claro, seria trabalhar o bom senso. O que é real não pode ser questionado jamais!

A realidade deveria ser intrínseca à sociedade, expondo a confiança do que é válido e descartando falsas perspectivas.
E é nesse ponto que entram os problemas comportamentais: É mais simples viver uma situação ilusória do que defrontar, de forma real, as situações em sua veracidade.
É uma maquiagem muitas vezes bem feita, outras não... percebe-se! É tão presente e corriqueiro.
Quando não bem feita, o peso trata,  exceto pelos narcisistas – , em cuspir uma falsa identidade diante dos mais próximos. E a vista grossa continua, principalmente para aqueles que mantêm uma proximidade sentimental/familiar.  

O sonho leva a crueldade para os que não o buscam; para aqueles que não se esforçam.
E o que resta? Apenas lamentações:
- Eu deveria ter feito isso, ou aquilo, agido de determinada maneira. É a lamentação dos conformistas; de quem se rende. Daqueles que dizer:

- Se a situação é essa, que seja. Mal sabem que têm o poder de mudar (e moldar) os tempos seguintes.

É um corte preciso, inconvertível, pois apesar do tempo ser relativo, este é uma das poucas coisas que não perdoam. Segundos, minutos e horas indicam o fim.
O sino que marca os ponteiros em uma catedral barroca para aqueles quem vivem em sua fictícia fantasia, apresentam uma nova forma de manipular as pessoas próximas através da encanação que enganam a ingenuidade.

O arrependimento e o remorso são as dores mais intoleráveis ao ser humano. Afinal de contas, quando lidamos com uma situação na qual não podemos reverter, exceto por aqueles que possuem a mente equilibrada, a impiedade consome a todos.

E o ser humano á assim: raramente se conforma!

    




  









quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Murmúrios e recordações




Então o momento está se aproximando
Almas abaladas por um espírito fudido
Flores deitadas de lado movimentam o que uma vez foi amor

Como eu gostaria de realizar as viagens sem descuidos
tão difíceis de se encontrar com o destino em segredo

Uma caixa em forma de cruz levanta recordações
enquanto murmúrios se despedaçam em caminhadas
Erros de uma misericórdia em seu tempo

É a velha história vista de um período diferente
as coisas ditas que nunca foram compreendidas e nem serão
Flashes de beijos e abraços se apresentam nas janelas ornamentadas

Como eu gostaria de crescer na mesma proporção que meus gritos,
tão antiquados quanto os desejos hipócritas em queda

E os olhos se cortam como cicatrizes de um dia não usual
A marca de nascença finalmente vive em sua luz perpetuada
O adeus a um infortúnio e as boas-vindas em maior perspectiva



 




Eterno é não saber


Não há misericórdia para aqueles que esperam
por um pouco de justiça e liberdade no viver
Naquele que reside ansiedade, morre a paz
Naquele que se exalta demais, o controle se apaga
Naquele que acredita muito em si mesmo, a insegurança é o seu lar
Naquele que pensa que o amanhã será melhor, o hoje torna-se uma carga insolúvel
Naquele que acredita na vida, a morte é a única certeza

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

VOCÊ SABE A DIFERENÇA ENTRE O AMOR ROMÂNTICO E O AMOR GENUÍNO?


O problema é que nós sempre confundimos a ideia de amor com apego. 
Sabe, nós imaginamos que o apego e o ciúmes que temos em nossas relações demonstram que amamos. Quando na verdade é só apego. E isso nos causa dor. Porque quanto mais nos agarramos a algo, mais temos medo de perder.

E então, se nós perdermos, vamos sofrer. O que quero dizer é que amor genuíno é… Bem, o apego diz: “Eu te amo, por isso quero que você me faça feliz”. O amor genuíno diz: “Eu te amo, por isso quero que você seja feliz. E se isso me incluir, ótimo. Se não me incluir, eu só quero a sua felicidade.”. E são dois sentimentos diferentes.
Veja um vídeo INSPIRADOR onde a monja no Budismo Tibetano Jetsunma Tenzin Palmo nos explica a diferença entre o Amor romântico e Amor Genuíno.
> ASSISTA AQUI < http://goo.gl/qBVTmF