domingo, 28 de setembro de 2014

Um dos meus maiores medos é o remorso, ainda mais se tratando dos pais.
Sabe, perdê-los e pensar:
- Eu poderia ter feito isso, aquilo; não deveria ter tratado "daquela" forma (grosseira ou indiferente); deveria ter escutado mais, principalmente quando eles se sentiam na necessidade de serem escutados.
Esse é um péssimo sentimento.
Imaginar que quando esse "relacionamento" acabar, tais sentimentos comecem a assombrar/infernizar o dia a dia e nada possa feito.
Por que a merda do remorso é um dos únicos problemas que não se resolvem; é uma das coisas mais cruéis que o ser humano pode carregar.
E o pior é que a natureza das pessoas é agirem dessa forma e só pensarem nele no momento em que estiver escancarado, batendo à sua porta! E lidar com isso, realmente é uma porra; lidar com a expectativa quando a realidade está exposta é uma merda. A gente se perde.
RARAMENTE escrevo aki algo que diz respeito ao que realmente sinto, mas desta vez optei por falar algo para as pessoas que se sentem como eu e, mesmo não havendo nenhuma palavra de conforto, que possa ajudar de alguma forma (a refletir ou não sobre o "remorso do amanhã").

Nenhum comentário:

Postar um comentário