quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Faces


Poderia recortar diversas faces abrindo jornais, revistas, ou qualquer material que contenha diversas formas, cores e perspectivas.
Esse trabalho ocuparia poucas horas do meu dia, que basicamente é a mesma coisa. Os mesmos sons, sentimentos...
As mesmas pessoas e visões...
A mesma fechadura, e exatamente a mesma chave que não abre absolutamente nada. Uma janela manchada que te deixa eternamente cego.
Então você busca uma nova identidade, mas percebe que é tarde demais. Você conhece a esperança em sua forma escrita, que circula e dança entre as palavras. Bem longe... É tudo tão enternecedor e cômodo!
Seu silêncio é tão profundo que pessoas a quilômetros de distância o escutam. Alguém roubou seus sonhos na infância, e o transformou em sons que vêm dos sinos de uma igreja. Seria romântico se não fosse tão funesto.
Em uma lua roxa, suas mãos se quebram em dois idênticos pedaços. Como segurar as mãos do seu guia?
Perdido mais uma vez. É tão fácil perceber que ser gentil e amoroso não vai te proteger.
Talvez não seja necessário segurar, mas seguir. Basta seguir, mesmo que ofuscado pelas lágrimas vermelhas, fazendo uma alusão a uma vida desperdiçada.
Sei que você não terá nem uma degustação do que precisa ou deseja, portanto tudo terminará da maneira que você previu. É o que tudo indica!
Deitando toda noite em uma cama vazia no quarto que se transformou em um bunker, buscando forças em uma energia que nunca vem.
Talvez seja necessário esperar por um milagre, ou talvez empanturrar o coração com falsas esperanças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário