quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

O Anjo Negro observa os servos


Não foi a verdade que trouxe você a mim, portanto não pretendo atuar mais acreditando que suas palavras são leais e incontestáveis. Analisando os fatos calmamente, posso perceber a monstruosidade da história e qual é a consequência, atualmente, em mim e como ela rompeu minha alma em uma miscigenação de raiva, frustração e, em sua maior parte, mágoa. Ambos entendemos a dor que a mentira causa e como não saber lidar com as coisas não deveria ser um problema para o condenado. Essa questão é voltada apenas para o réu, isto é, se este não demonstrar nenhum sinal de psicopatia como, por exemplo, indiferença e ausência de remorso.

A solidão causa pesadelos em mim. É algo bem parecido com algumas imagens que costumo ter acordado. Obviamente é a pior forma de se sentir solitário que existe: A solidão acompanhada... Em uma metrópole, se sentir assim é realmente intrigante e ao mesmo tempo tentador. Tudo isso nasce a partir do romantismo que envolve a depressão como uma áurea. Aprofundando um pouco mais e retirando outros fatores para que o centro possa ser explorado, percebemos que tudo isso foi longe demais. Você ser obrigado pelo controlador da saúde mental (ambições, desejos e imaginação) a cometer um assassinato imperdoável. Matar uma espécie em extinção: o amor em seu estado puro.

Não consigo percorrer mais por este caminho, pois meus joelhos já alcançaram os tornozelos e, aos poucos, meus movimentos foram se tornando bruscos, limitados e enraizados.

Tive a certeza que o mundo se tornou um local imundo a partir do momento em que optei por carregar esse consolo há 6 meses.  Alguém com uma vestimenta branca e um rosto borrado me chama incansavelmente há mais ou menos 18 anos, apontando uma lança, a partir de um sofá, como quem aponta o dedo na cara de qualquer um. Agora basta reorganizar os planos que recentemente foram reorganizados. Se tratando de reorganizar as coisas, talvez um dia eu tenha essa posição. Quem sabe quando eu me tornar uma santidade coberta por alexandritas.

Eu seria uma santidade coberta de cólera por ter que atender às orações desses escrotos e delinquentes seres que se autoproclamam raça superior; racionais; homens sábios e outros títulos que comprovam um inacabável e deprimente complexo de inferioridade e um alto índice de narcisismo. Talvez o consolo não seja a maior adversidade. Pode ser que eu queira apenas acreditar nisso para confortar meu coração em um travesseiro de pena de ganso.

Portanto, não consigo definir qual obra é a mais racional, pois nenhuma delas me levará à lucidez e posso afirmar isso com toda a certeza desse miserável mundo. Vejo apenas toda a questão imoral. Hoje li a seguinte frase postada:

"Acho ridículo quando uma pessoa precisa mentir pra se dar bem. Acho mais digno quem é corajoso o suficiente pra se ferrar com a própria sinceridade."

O que é mais cômico é que a pessoa que postou não foi sincera em uma determinada situação, e contribuiu com o desenvolvimento do circo em outra.                                                               Uma palhaça sem maquiagem e trajes adequados. Apenas por tentar “ajudar” alguém!

“Ajuda” que tornou a situação inacreditavelmente ridícula e cativante. Me cativou tanto que não sai da minha mente. Impregnou como a falsidade desses falsos moralistas!

O mais patético é pretender acreditar em um conto caipira. Prefiro ser levado para um bosque e viver sozinho pelo resto da minha vida do que ter que tolerar falsidade, fingimento e um caráter de MERDA que presenteiam determinadas pessoas. A frase acima teria mais força se quem a tivesse postado fosse um exemplo de dignidade e nobres atitudes, mas de qualquer forma, não perdeu seu sentido. É devastador o que a mentira faz... Obviamente, isso é relativo. Se a pessoa que recebe for mau caráter, não fará diferença alguma. Mas se tiver a sensibilidade de uma alma caridosa, adeus! Acabou!.!.!

Carrego minhas distorções na personalidade e meus defeitos comportamentais, mas sim, sou fiel e verdadeiro. Não engano e muito menos magôo ninguém, pois cresci e cheguei a um tamanho que me proporcionou a compreensão de que isso é uma imaturidade mental; é a presença de uma mente definhada, que não entendeu que o amor e a sinceridade são primordiais para uma convivência pacifica e harmoniosa entre as pessoas.  A propósito, nunca traí a confiança de ninguém! Talvez por me magoar com extrema facilidade, adquiri essa sensibilidade. O amor doado não é recíproco; harmonioso é problemático. Qual é a proporção?

Aquela em que você não espera a reciprocidade e, ao mesmo tempo, consegue manter a harmonia. É a sinceridade em saber que trair, enganar e machucar, é uma forma de assassinato. Você está matando o amor. O amor não é apenas um sentimento, mas uma forma de vida. O amor propulsiona sentido, ânimo, vontade e perspectiva. Sem isso, como é o dia a dia de uma pessoa?

No mínimo frustrante e decadente.

Pensa que sentimentos podem ser extintos apenas por serem “simples”? Que uma forma de vida é originada só pelo fato de respirar, pensar, abrir os olhos? A vida está em todo canto. A vida não respira, mas inspira. Qualquer objeto ou situação que causa qualquer sentimento possui vida. Que porra de piada ocupar espaço por aqui... Me admira a capacidade da pessoa olhar nos olhos da outra e mentir. Se os olhos são as janelas da alma, para quem mente dessa forma, a vista dessas vidraças têm o horizonte mais imundo que se pode imaginar.

Afinal de contas, isso é pecado? Não, pois o pecado é uma palavra utilizada em um contexto religioso e isso se torna uma visão doentia e unilateral.

Em que se enquadraria então? Em mágoas... Magoar não é pecado, é uma ação não instintiva baseada em uma escolha.  Para avaliar essa forma de “pecado”, basta refletir sobre a consequência. Dor e mágoas!

A sinceridade, mesmo que acompanhada por mágoas ou crueldade, é imprescindível para um relacionamento duradouro. Não importa o que aconteça, abrir o seu coração com palavras abstraídas de mentiras/hipocrisia evita assassinato. Tudo depende, logicamente, da forma em que as sentenças são colocadas. Quero ser conhecido pela sinceridade e não enojado pela mentira... Olhares tortos não interessam e nem alimentam o meu falso narcisismo. Vivemos em uma sociedade, PARA a sociedade. Poucos vivem COM a sociedade. A diferença, é que viver COM a sociedade significa expor sua autenticidade e seus valores de modo que nada o influencie negativamente; nada o faça se perder aos valores há tempos perdidos. Seria apenas uma adaptação.      

Um sábio com longas, brancas e ásperas barbas levantou o seu cajado bruscamente e afirmou em forma de uma parábola:

- Sua paz celestial foi interrompida quando o cordão foi rescindido e o primeiro choro proclamado. Tranque os olhos e mantenha-se em um canto geométrico. É outono! Desde (e para) sempre!  Posso assoprá-lo para o bosque com o intuito que descanse em meio aos carvalhos e faias. Lá você poderá descansar o tempo que EU determinar!

O velho também ameaçou emprestar uma corda.

- Desejaria se tornar um lustre para os xamãs e para os seus entes? Indolor (?) e eficaz. Faça com vontade, para cravar uma nova data em uma pedra de mármore. Talvez em um vaso? O que você preferir. Diga ao seu amor que será breve e que a sua assinatura está no canto inferior direito. O sol se tornará uma lua escura e deformada; as montanhas se transformarão em neve e o seu nome cairá 7 vezes em desavenças.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Sentido da vida


Vejo as pessoas dizerem que a vida deve possuir um sentido. Isso me deixa intrigado de uma forma voraz e irrefutável!
Por que deveria haver algum sentido em erguer-se todos os dias e realizar tarefas metódicas?
O sentido está dentro do que buscamos e temos como planos e expectativas. A natureza se encarrega de nos proporcionar a queda das folhas das árvores no outono; o nascer do sol; o vento que sopra para o norte e toda a beleza e geometria que envolve suas formas.
Em suma, o sentido é relativo, mas tentando aproximar em uma análise mais “popular”, seria nossas escolhas e percepções, enquanto a natureza é uma composição importante em nossas vidas.
Poderíamos avaliar alguns sentidos intrínsecos, ou que abrangem o senso comum, como o amor, liberdade, compaixão, felicidade e generosidade.
O amor envolve gestos simples.
A liberdade se desenvolve através de gestos simples.
A compaixão é composta por gestos simples.
A felicidade se expressa, muitas vezes, em momentos simples.
A generosidade é realizada com gestos simples.

Portanto, o sentido da vida está na simplicidade. Extravagância é excesso. Simplicidade é o bastante para ser essencial.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Ilustração | Elliott Smith


Ilustração | Dona Lisa e a faxina


Faces


Poderia recortar diversas faces abrindo jornais, revistas, ou qualquer material que contenha diversas formas, cores e perspectivas.
Esse trabalho ocuparia poucas horas do meu dia, que basicamente é a mesma coisa. Os mesmos sons, sentimentos...
As mesmas pessoas e visões...
A mesma fechadura, e exatamente a mesma chave que não abre absolutamente nada. Uma janela manchada que te deixa eternamente cego.
Então você busca uma nova identidade, mas percebe que é tarde demais. Você conhece a esperança em sua forma escrita, que circula e dança entre as palavras. Bem longe... É tudo tão enternecedor e cômodo!
Seu silêncio é tão profundo que pessoas a quilômetros de distância o escutam. Alguém roubou seus sonhos na infância, e o transformou em sons que vêm dos sinos de uma igreja. Seria romântico se não fosse tão funesto.
Em uma lua roxa, suas mãos se quebram em dois idênticos pedaços. Como segurar as mãos do seu guia?
Perdido mais uma vez. É tão fácil perceber que ser gentil e amoroso não vai te proteger.
Talvez não seja necessário segurar, mas seguir. Basta seguir, mesmo que ofuscado pelas lágrimas vermelhas, fazendo uma alusão a uma vida desperdiçada.
Sei que você não terá nem uma degustação do que precisa ou deseja, portanto tudo terminará da maneira que você previu. É o que tudo indica!
Deitando toda noite em uma cama vazia no quarto que se transformou em um bunker, buscando forças em uma energia que nunca vem.
Talvez seja necessário esperar por um milagre, ou talvez empanturrar o coração com falsas esperanças.

O espelho quebrado


Um fato a se destacar é que vivemos diante de um espelho quebrado. A nossa verdadeira imagem sempre se encontra paralela à realidade em que vivemos, sendo distorcida pelas figuras geométricas de um vidro que reflete nada mais do que a realidade que gostaríamos de ser, e não o que verdadeiramente somos. Cada forma quebrada, como um mosaico, é um espaço para a característica individual, sendo assim, a importância diante do pensamento dos outros é derivada do tamanho de cada peça.
A conseqüência disso é a obsessão em juntar os pedaços e formar uma imagem perfeita diante dos outros, e esse se torna o ponto de partida para a sociedade da representação. Aceitar as situações, e não mudá-las cairia perfeitamente em um penhasco azul e pálido.
Não junte os cacos. Crie um espelho novo baseado nas perspectivas e sonhos, e faça o seu caráter paralelo aos seus reais valores.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Interior... romantismo... ideal


O som do sino toca em uma igreja no alto de uma ladeira. Um aviso aos moradores que alguém entrou por uma porta que poucos desejam.
As pessoas se encontram durante a caminhada e na porta das suas casas. Conversam, sorriem, choram, pulam de um assunto para outro com extrema facilidade.
O sol ilumina as lágrimas que entram em decadência com as lembranças, mas todos acreditam no tempo. As esculturas se tornam amarelas e vivas, beijando o horizonte e cada estranho que passa por ali... Cada montanha em sua singularidade consegue decorar essa cena.
A multidão aos poucos sobe a rua passando por casas antigas, chafariz, museus e pelo passado. Como soldados, vão seguindo militarmente em sentido ao mesmo ponto central daquele fim de tarde, olhando pra cima. Alguns cansados, outros sentem uma imensa expectativa de presenciar o que já estão cansados de ver. Um rolo de filme ao revés no olhar demonstra isso!
Mais um polegar levantado para a sociedade do espetáculo.
È cômico, pois todos irão passar por isso. Esses também se tornarão um objeto intrigante para alguns, mas basicamente de adoração e lamentação.
O tempo para os que conversam sobre assuntos subjetivos passa mais depressa. Tempo que atura esses olhares míopes, sujos e cínicos que juntamente se completam nas bocas que balbuciam palavras de suposto apoio.
Finalmente reunidos na parada das coroas, ninguém diz mais nenhuma mísera palavra. Alguns observam, enquanto outros caminham em linha reta deixando suas mentiras, sinceridades, mágoas e alegrias.  
Dentro, a decoração barroca parece tornar a cena uma propriedade da sua história.
Ao lado esquerdo, objetos, memórias, e o pedaço de cada morador. Não há verdade que sustente as sentenças roubadas de um ladrão de flores roxas.
Estranhos se cumprimentam com cordialidade em um lugar tão antigo quanto a decadência humana.
Todos pensam que precisam de você, mas o que não é descartável ou substituível nesse satélite?
Pra quem conhece bem, essa cena torna-se surreal e não há o que reparar muito menos o que expressar por um sentimento ínfimo e burlesco.
Por fim, velas são acesas, esperanças renascem e a dor é previamente aceita.

Uma colônia composta por um bosque

Ando pelo bosque mais escuro
procurando a solidão em cada passo
Caminho em círculos com meu escudo
me resguardando de tudo o que faço

Basta empurrar o meu corpo e minha mente,
para julgar a fé como um pensamento positivo
Mas as pessoas dizem sobre o que se sente,
que é a força de algo estupidamente vivo

Eu não pertenço a ninguém,
pois vim da mesma natureza que os demais
A única diferença é o sofrimento que vem
e corrompe quem o traz

Para alguns é entretenimento
Para outros é uma marcha casual
A alma transparece o sentimento
perdido em uma linha meridional

A procissão caminha lentamente
carregando lírios como um troféu
Consequência de uma serpente
que envolveu o seu pescoço até o céu